Pigi ou calumbé – sincretismo do candomblé, pagelança e catimbo

Na pagina folclore da Gazeta, 1961 tem uma reportagem sobre o pigi também chamado de calumbé !  Se trata de uma entrevista de uma filha de terreiro nativa de Dias Coelho na Bahia ! Ela fala da crença dela chamada pigi ! Ela ajuda o mestre, o  curador a curar seus pacientes com plantas medicinais ( arruda, alecrim, folhas de sete dor, espada de agua), despachos (frango preto, farofa e azeite, 7 cruzeiros, 7 charutos e 7 novelos de linha branca) e com a ajuda de espiritos (caboclos) ou de mestres que baixam  nas pessoas como o espirito da floresta, o espirito da onça, de santos catolicos (Santo Antonio, Santa Luzia e Nossa Senhora  Aparecida), com orixas do candomblé (como Exu) chegando a lavar as pernas dos pacientes e a acender velas dentro da cerimonia magico-religiosa e cantando versos  como

Puxa a corrente do mar,

Marinheiro, marinheiro,

Marinheiro eu vim

Vadiar no terreiro…

Santa Barba

Virge do cabelo loiro

A morada dela

é na pedra do ouro.

Pode parecer estranho que o candomblé  – que ja é um sincretismo em si de aspectos da religião catolica  com aspectos dos cultos africanos oriundo das nações iorubas e do golfo do Benin – passe a sincretizar por sua vez com outros panteões magico-religiosos que são a pagelança e o catimbo (culto da jurema sagrada), religiões aborigenes por excelencia !

Ja presenciei em numerosas casa na Bahia e no Rio de Janeiro a existência de uma sala cativa dedicada ao culto às diversas entidades sejam elas chamadas santos, anjos, orixas, espiritos, caboclos, deuses.  Sempre hà um altar florido com imagens da Nossa senhora, santo Antonio e outros santos, outros orixas que estão ai para proteger o lar !  Crucifixos,  terços,   biblia, velas de todas cores e tamanhos completem o quadro !

Quando vem a doença e o desespero não tem médico certo, é caso de vida ou morte, o pessoal recorre ao pigi !

O pigi reune aspectos do catolicismo como  a importância dada ao terço, à agua benta, à reza e a fumaça de cachimbo mas inclui tambem o culto à jurema sagrada, jurema mimosa hostilis, um hallucinogeno que misturado com cachaça pode explicar o transe observado !

Tento escapar da imersão na « completa terrestrialidade e mundanização do pensamento » que nem    Antonio Gramsci ! Penso que transcendente e imanente, objeto e sujeito se confundem num fluxo e refluxo atravès os ritos, as preces com o mesmo objetivo sempre : a cura !